Discos de travão: como e quando substituir?

O bom funcionamento do sistema de travagem é crucial para a segurança de condução. O fluido, as pastilhas e os discos de travão devem ser substituídos atempadamente para garantir o funcionamento impecável do automóvel.

O que são discos de travão?

Esta peça faz parte do sistema de travagem. É solidária com a roda do carro. As pastilhas de travão atuam sobre ela, provocam uma diminuição da sua rotação e induzem assim a travagem. A peça tem duas partes, o disco onde assentam as pastilhas e a flange central destacada para montagem no cubo de roda.

A maior parte da energia de movimento é convertida em calor durante a travagem e posteriormente dissipada no ar. São atingidas altas temperaturas no componente durante este processo. Com o intuito de melhorar o desempenho de travagem a temperaturas elevadas e em condições de condução molhadas, desenvolveram-se novos designs e materiais de fabrico.

Tipicamente, distingue-se entre dois tipos:

  • Maciços. Feito de uma peça maciça de metal.
  • Ventilados. Compostos por dois discos com um espaçamento entre si, mas interligados por meio de pontes metálicas.

Os componentes podem apresentar as seguintes características:

  • Perfurações. A zona de fricção apresenta orifícios axiais. Estes melhoram a dissipação de calor.
  • Entalhes. A zona de fricção apresenta ranhuras. Estas melhoram a remoção de água e sujidade.

Os materiais empregados no fabrico destas peças são:

  • Cerâmica reforçada com fibra de carbono e matriz de carboneto de silício. Estas peças são comparativamente mais leves, resistentes ao desgaste, à corrosão e a temperaturas elevadas. São dispendiosas.
  • Liga de ferro fundido perlítico, molibdénio e cromo. Estas peças apresentam resistência ao desgaste e à fissuração. São comparativamente acessíveis.

Imagem do disco retirada do site autopecas-online.pt

Quando e como devem ser substituídos?

O limite de desgaste dos discos de travões é definido pelo fabricante. Trata-se da espessura mínima que o componente deve ter. A sua substituição deve ocorrer o mais tardar quando este limite mínimo é alcançado. Se a espessura mínima tiver sido alcançada e o componente continuar a ser utilizado, há o risco de fissuração ou rutura quando sob esforço, tornando a travagem eficiente dessa roda impossível.

As pastilhas de travão são substituídas mais frequentemente que os discos correspondentes. Contudo, para garantir o bom funcionamento do sistema, recomenda-se que aquando da substituição das pastilhas, os discos tenham a espessura mínima mais a espessura que é desgastada por um par de pastilhas.

Quais os problemas que podem ocorrer?

O sobreaquecimento destes componentes diminui a eficiência do sistema de travagem e compromete a segurança durante a condução:

  • A partir de determinadas temperaturas o coeficiente de fricção do disco diminui consideravelmente.
  • O sobreaquecimento dos componentes pode levar a que o fluido dos travões aqueça também. Se este não tiver sido substituído atempadamente, a água dissolvida pode entrar em ebulição. Isto provoca uma falha dos travões.
  • Quando sobreaquecido, o componente tende a dobrar-se devido às suas características construtivas. Isto pode provocar um desgaste unilateral dos componentes de travagem, bem como ruído e vibrações no pedal e volante.

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.